quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Recompense, agradeça, elogie e potencialize sua equipe

Foto: Divulgação
   O desafio das empresas no contexto atual é tornarem-se mais inovadoras para continuarem a chamar a atenção dos consumidores. A competitividade para atrair e reter estes consumidores ávidos pelo consumo continua cada vez mais acirrada e em razão disso as empresas estão diversificando mais seus produtos/serviços e divulgando-os através das mídias sociais, televisivas, rádios, programas de celular, entre outros meios de comunicação.


Foto: Divulgação
   Para que a inovação ocorra se faz fundamental ter nas organizações pessoas capazes de criar e acreditar que algo novo pode ser feito. Quando crianças, as pessoas conseguem criar muitas coisas com o mínimo de recursos disponíveis que solucionam seus problemas atuais. Por exemplo, o uso da vassoura que se mostra muito além do conceito de varrer o chão e que facilmente se transforma em um cavalo, uma espada ou um microfone. Elas conseguem enxergar alternativas para inventar brincadeiras, desenhar sem se preocupar se alguém vai achar feio ou bonito. 

O fato é que, já no mundo infantil, podemos observar que enquanto algumas crianças criam, outras aprimoram e outras, copiam a ideia das primeiras. Com o passar do tempo elas crescem e quando se deparam com problemas, muitas vezes simples de resolver, as ideias aparecem, porém logo a descartam, pois acreditam que não vão funcionar. Então passam a buscar por uma solução perfeita. Quando alguém de fora, ao analisar o problema, lhe sugere algo, colocam à mão na cabeça e dizem assustados – Puxa vida! Por que não tentei isso antes! E então vão perdendo as oportunidades de inovar.  

Por esta razão, as empresas buscam criar um ambiente de trabalho mais atraente e encorajador, pois nenhuma ideia é ruim. Elas podem ser melhoradas. Um ambiente encorajador é aquele em que os colaboradores têm liberdade para dar suas opiniões e aplicá-las no seu dia a dia. Obviamente que eles devem compreender o conceito de liberdade com responsabilidade.

Embora pareça desnecessário comentar, mas as equipes são reflexos fidedignos de seus líderes. Se o “chefe” desconfia da sua equipe, automaticamente elas irão corresponder da mesma forma e então nada de bom poderá acontecer. Se o colaborador se sentir explorado pelos patrões, logo encontrará uma maneira de ser recompensado, mesmo que tenha que passar por cima dos princípios éticos. Por esta razão a relação empresa colaborador deverá ser a de ganha - ganha. Um dia desses o patrão disse ao seu funcionário: Olha esta promoção! Vamos fazer o que pede o critério e participar do concurso. O funcionário vira-se para ele e diz: E o que eu vou ganhar com isso?


Se as organizações criarem um relacionamento de ganha – ganha com seus colaboradores, certamente eles buscarão alternativas de soluções para os problemas cotidianos. Através de recompensas salariais, elogios e agradecimentos, permitirão com que eles sintam que se fizerem algo que traga benefícios para a empresa, eles também participarão dos resultados. Logo passarão a criar mais e as inovações começarão a aparecer.

Acesse o perfil de Sérgio Ditkun Clique Aqui }

Postagem em destaque

Crea-PR inicia processo para eleição de Inspetores

Nesta segunda, dia 18, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná – Crea-PR, inicia o processo de eleição de Inspetores com ...

Postagens mais visitadas da semana