quarta-feira, 19 de abril de 2017

Agricultores familiares são beneficiados por programa de habitação em Ponta Grossa

Foto: divulgação
O Programa Nacional de Habitação Rural tem novos valores para contratos a partir de 2017. O coordenador regional da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), Talmai Zanini Júnior, apresentou detalhes do programa na Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SMAPA). Na oportunidade, a Cohapar solicitou apoio da Secretaria para possíveis atuações na readequação dos acessos às propriedades beneficiadas pelo programa.

Nos contratos de 2017, o valor investido e a renda familiar foram reajustados. No caso do ‘grupo 1’, o investimento nas moradias passou de R$ 28,5 mil para R$ 34,2 mil. A renda familiar bruta anual, que era de R$ 15 mil, agora é de R$ 17 mil. Os agricultores familiares devem entrar com uma contrapartida de 4% do montante, o que dá R$ 1.368,00, divididos em quatro parcelas anuais de R$ 342,00.

Há também o ‘grupo 2’, com renda familiar bruta que passou de R$ 30 mil para R$ 33 mil. Para esse grupo a família deve financiar R$ 24,4 mil a serem pagos em 10 anos. Outros R$ 10 mil são subsidiados. Os recursos para esse grupo são provenientes do FGTS.

Ponta Grossa tem 11 casas, de 46 metros quadrados, concluídas pelo contrato de 2014. Em maio essas moradias devem ser entregues oficialmente. Todas são no distrito de Itaiacoca. Do mesmo contrato, há outras 23 casas em construção, 18 em Itaiacoca e cinco em Guaragi. Para essas, a Cohapar vai avaliar e, naquelas que for necessário, pedir apoio para a SMAPA na recuperação de acessos. O secretário Ivonei Afonso Vieira já avaliou como possível a execução de tal atividade.

Fonte: Prefeitura de Ponta Grossa

Postagem em destaque

Conferência Municipal de Saúde movimenta Conselho de Saúde

A comunidade de Ponta Grossa será palco de um dos maiores eventos realizados pelo Conselho Municipal de Saúde.

Postagens mais visitadas da semana