quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Cinema em Pauta: A Dama de Ferro

Cena do filme A Dama de Ferro
Mesmo com a semelhança dando um toque a mais para compor a personagem, Streep mostra a grande atriz que é, e faz o que pode para contar a história da primeira ministra britânica Margaret Thatcher, mas a trama narra de forma superficial, ou melhor, mostra a parte ficção e a parte história fica de lado.

Streep sempre impecável em suas atuações, mesmo a história se perdendo em alguns deslizes de cena, ela permanece na personagem, intacta, numa cabeleira cheia de laquê e seu olhar de indiferença que não derruba seu opositor.  A história sai um pouco do que é de fato histórico e narra a vida de uma senhora com Alzheimer que conversa com seu marido já morto e vive na época de sua ascensão política, longe de sua realidade que a cerca.

A ideia de narrar à vida de Thatcher desde sua adolescência (interpretado por Alexandra Roach) onde ajudava o pai na mercearia da família se mostrou até então uma biografia interessante, mas no decorrer do filme, a trama se perde, pois mostram fatos importantes de Thatcher de forma superficial e focam em questões não tão importantes ou interessantes.

Com a ajuda do bom e velho flashback, buscando situar o espectador no decorrer da história da biografada, e que alguns casos é narrado e logo jogado o fato histórico à tela, ainda assim, esses saltos no tempo fazem do roteiro algo superficial e perdido com tantos acontecimentos na vida de Thatcher.

Margaret Thatcher uma figura política que quebrou paradigmas e rompeu preconceitos, numa época onde a mulher não tinha voz, ainda mais se tratando na política, que na época era apenas liderado por homens, ela se fez ouvir, sempre firme em suas decisões, esta é uma das cinebiografias, mas ela merece muito mais, uma a sua altura, sem necessidade de criações ou invenções de fatos para deixar o roteiro mais interessante e sim dar maior ênfase em sua carreira política.

A roteirista foi de certa forma criativa, ao trazer uma senhora debilitada mentalmente, mas por ser uma personalidade forte, soou um pouco falta de conteúdo, sendo que a própria história possui diversas questões a serem relatadas, mas esse foi o primeiro filme sobre a líder política (uma das mais polêmicas) da atualidade.

A DAMA DE FERRO/The iron Lady. Direção de Phyllida Lloyd. Roteiro de Abi Morgan. EUA, 2011. Drama/Biografia. Com: Meryl Streep, Alexander Beardsley, Alexandra Roach, Alice da Cunha, Amanda Root, Andrew Havill, Angela Curran, Angus Wright, Anthony Head, Chris Campbell, Christopher Luscombe, Clifford Rose, David Cann, David Rintoul, David Westhead, Eloise Webb, Emma Dewhurst, Harry Lloyd, Hugh Ross.
Clique Aqui Coluna Cinema em Pauta

Postagem em destaque

Conferência Municipal de Saúde movimenta Conselho de Saúde

A comunidade de Ponta Grossa será palco de um dos maiores eventos realizados pelo Conselho Municipal de Saúde.

Postagens mais visitadas da semana