segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Ponta Grossa: Os pontos turísticos

Não faz muito tempo, um incêndio atingiu uma parcela do Parque Estadual de Vila Velha. Um trabalho imenso para os bombeiros e voluntários. Espécies animais e vegetais destruídas pelo calor intenso do fogo. A terra empobrecendo a cada evento como este.

As causas “desconhecidas” mas já sabidas, provavelmente oriundas de um toco de cigarro ou semelhante, lançado na beira da estrada, em cima daquele matinho seco pelas geadas. O resultado todos sabemos qual foi. Ou também, do treinamento com fogo “descontrolado” dos bombeiros.

E este, é somente um, dos problemas daquele local. A degradação dos arenitos pelos visitantes, os quais deixavam, inclusive, os seus nomes gravados nas rochas, declarações de amor entre outras coisas. A alimentação dos animais com salgadinhos, chicletes, etc, os quais não acostumados a alimentos humanos, morriam até de dor de barriga. Isto sem falar, no tão sonhado Museu de Geologia, espaço que poderia ser um dos únicos do país e do mundo, mas que pela falta de interesse, foi deixado para o dia de “São Nunca”, o padroeiro das causas impossíveis. Até o idealizador do mesmo tempo atrás faleceu.

E o Buraco do Padre? Que local maravilhoso, de beleza sem igual. Recentemente lá estive, e fiquei contente, com as reformas realizadas. Tomara que as coisas possam realmente melhorar por lá. Só não gostei de ver ainda lixo jogado pelas trilhas. Coisas dos três, quatro ou cinco porquinhos, que lá vão visitar.

Da Lagoa Dourada temos poucas notícias. Até pescaria já fizeram naquelas bandas em tempos atrás. Local lindo e ímpar, o qual anda esquecido. Das Furnas, talvez tenha ficado a lembrança. Do Capão da Onça e Rio São Jorge, e as festinhas do final de semana, regadas a música e bebidas.

E o que dizer, da nossa Represa de Alagados, então? Local de captação de água para bebermos, mas pouco cuidado também. Até jet sky já foi visto por lá. E aquelas famosas casas bonitas. Já apareceram em todos os jornais e noticiários.

A nossa Cidade de Ponta Grossa, foi presenteada pela natureza, com belíssimos locais, mas ainda não nos demos conta deste fato. Enquanto outras cidades, organizam estes espaços, colocam estrutura para recepção de visitantes, aqui turismo fica restrito a uma sala dentro da rodoviária, para a distribuição de panfletos e informações.

Penso eu, que muitas outras coisas, poderiam ser feitas nesta área. Temos uma universidade pública e gratuita, formando profissionais todos os anos. Agências em cada esquina e condições de melhorar a cada novo dia. O que falta é vontade política.

Dias atrás, assistindo a uma reportagem, sobre o Recanto dos Papagaios, local que recebe muitos turistas, agora sendo alvo constante de ladrões, os quais “visitam” o patrimônio alheio, sobrando um amontoado de cartões de banco, documentos, cheques, etc, tudo jogado no matagal.

Deixo o desafio, a todos aqueles, que já ocupam ou vão ocupar, uma cadeira na Câmara de Vereadores e na Prefeitura Municipal, que comecem a repensar o turismo local, com muito carinho e cuidado, pois ao contrário, não restam outras alternativas, a não ser olharmos um livro de fotos antigas ou páginas da internet. E não estou brincando.

O Escritor ainda tem esperança, em reais mudanças, neste tão importante setor, da área turística local, as quais poderiam trazer empregos, e aumentar a renda de pessoas.
Leia mais crônicas em: Meus Escritos
*As opiniões e declarações expressas aqui não representam a posição do Jornal Ponta Grossa. 
Reservando apenas a opinião e pontos de vistas individuais do autor.

Postagem em destaque

Crea-PR inicia processo para eleição de Inspetores

Nesta segunda, dia 18, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná – Crea-PR, inicia o processo de eleição de Inspetores com ...

Postagens mais visitadas da semana